Prelúdio

large

‘Cause there’s this tune I’ve found that makes me think of you somehow

And I play it on repeat until I fall asleep spilling drinks on my settee (Do I wanna know – A.M.)

Não sei ao certo definir essa coisa louca. Não tenho certeza de nada. Saber que meus planos de ano novo estão se desenrolando, que o ano mal começou e já trás boas notícias… Isso é muito bom.

Acredito que tudo o que você faz, de algum jeito volta pra você. E foi o que aconteceu. Em um momento que temia ficar sozinha, fiquei muito bem acompanhada. Não sei ainda o que faria sem as pessoas que estão ao meu lado, desde sete anos atrás ou desde o ano novo. Seja morando aqui ou em outra cidade. Ainda não sei ao certo qual entidade existe lá em cima, mas sinto como se ela mandasse as pessoas certas para me proteger.

O certo também nunca pareceu tão duvidoso e o duvidoso nunca foi tão certo. Parece que quanto mais sei, menos sei das coisas. E sei lá também, não sei de mais nada.

Quase

writen

Meu deus quase um ano sem postar.

Um ano.

Sabe o mais difícil? Eu gostaria de estar somente a uma semana sem postar.

Mas vamos lá.

Segundo semestre de engenharia civil e ainda acredito ser o que quero para o resto da vida. Números e desenhos juntos? E ainda posso ganhar dinheiro com isso? Para mim está perfeito (podem me achar estranha, mas amo exatas). Primeiro semestre passou que eu só vi quando estava de férias. Ah, as férias! Digamos que eu não posso tirar férias, não sou o tipo de pessoa que fica feliz em fazer nada por trinta dias. Talvez uma semana, mas de jeito nenhum quatro. Enfim.

Me aproximo lentamente dos meus dois anos de namoro e não poderia estar mais feliz com isso, pois com todos os problemas e neuras que possuo, ele ainda quer estar ao meu lado. E quero também agradecer às minhas amizades que com tudo isso permanecem verdadeiras. God bless!

Embora tudo pareça lindo, nem tudo é maravilhoso. Sou o tipo de pessoa que se assemelha aos comediantes: querem fazer todos riem, são palhaços e tudo mais, porém vivem em conflito interior e às vezes passam por uma “depressão”. Fazer o quê né? Mas tudo corre bem, tudo vai se acertando.

É só isso por enquanto. Espero não ficar tanto tempo sem escrever… Espero.

“Não quero nunca renunciar à liberdade deliciosa de me enganar. Che Guevara”

 

Bem simples

96f30538b912eb2f384b1e7757a03562-d5lljk9

Ninguém vê problemas em alguém fazer uma amizade no meio da tarde, e esta se tornar duradoura. Então qual o problema em se apaixonar de uma hora pra outra? Em querer e conquistar a outra pessoa? Ainda há tabus sem explicações certas, sem motivos reais. A cena de dois desconhecidos se trombando na rua e tornando-se perdidamente apaixonados um pelo outro é mais realidade do que ficção. Enquando você está aqui lendo, casais à longa distância estão se encontrando após meses de espera, um jovem faz uma surpresa pra sua amada e alguma sortuda encontrou o amor de sua vida e vai casar. O amor está por toda a parte, não tem porque questioná-lo ou levantar falso testemunho sobre o que aconteceu. Apenas aconteceu, sem precisar de explicações, simplesmente.

Boas novas

Girl

Olá,

Saudades de escrever, de me expressar. Duro é abrir a página de “Novo Post” todo dia e não tem reação para escrever nada. Tempos se passaram após minha última postagem. O mês mudou, o ano mudou, relacionamentos mudaram, idade mudou. Domingo eu ainda tinha 17, hoje já possuo dezoito anos completos, mas não posso esquecer que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. Este ano, pretendo cursar uma boa faculdade e estou aguardando para saber os resultados, confesso que a espera é angustiante, diante da minha ansiedade e vontade de começar tudo isso de uma vez. A caminhada continua, mas desta vez os passos são permanentes, como se eu andasse por cimento fresco. Quero viajar, conhecer lugares novos e voltar nos bons lugares que visitei. Tomar um bom café e correr atrás dos sonhos, pois diferente da neve, eles não caem do céu. Entretanto se mantêm por pouco tempo no mesmo lugar, como uma chuva de verão. Boas coisas do passado duraram por bom tempo, mas acabaram. Felizmente, aprendi e ensinei, não me arrependo de nada. Olho pra frente com esperança de um dia ensolarado e fresco, sentindo a brisa e esperando as boas novas.

Vejo vocês em breve,

Beijos e abraços.

Retrato

Ela tem cabelos castanhos longos e olhos negros como a noite. Anda pelas ruas com seu jeito singular e vai na direção do vento que fique a favor do balanço ideal de seu cabelo. Mas talvez características físicas não sejam necessárias para definí-la. Os tropeços fazem parte de seu dia a dia pois apesar de uma mente centrada no que quer, não consegue organizar seus passos de modo que ande sem esbarrar nas esquinas da vida. Vive com deficiência psicológica, não consegue organizar pensamentos e exclui os importantes. Tem medo do previsível e logo se esconde ao ouvir previsões esteriotizadas. Passa seus dias sorrindo e suas noites refletindo sobre o amanhã. Caminha normalmente porém esquece de entrar com o pé direito nos lugares públicos e privados de seu trajeto. Hoje ela está com seu objetivo próximo, todavia esqueceu do mais importante: cuidar do que diariamente cuidou dela no caminho até aqui.

Here we go again

É mais do que o simples arranjo de palavras para obter algum sentido. É dedicação e empenho. Requer atenção e principalmente criatividade, pelo menos um pouquinho. Talvez não seja tarefa para um qualquer, mas com força de vontade, torna-se possível para qualquer um. Foram muitas ideias, a maioria sem sentido. Houveram também diversos pedidos de ajuda, qualquer coisa bastava. Muitos banhos tomados para que no meio do vapor surgisse algo mirabolante e que depois eu conseguisse expôr da melhor maneira possível. Mês vai, mês vem, tempo sobra, tempo falta. E no  meio das lacunas nas horas eu consigo produzir algo. Confesso que utilizo a técnica de observação, saber o que as pessoas fazem, pensam e sentem. Relacionar meu eu com o eu do outro, abordar assuntos polêmicos ou simbólicos e desta maneira conseguir passar a ideia para o alguém do outro lado da tela. Amadureci a mente e as palavras, aprendi lições e me conheci melhor.

Obrigada por estarem comigo, seja desde o começo, do meio ou de pouco tempo atrás. Não chegaria onde cheguei sem vocês, obrigada leitores, amigos e todos que me apoiaram ou que contribuiram para que o blog fosse ficando cada dia mais bonito. E à todos nós, feliz dois anos de blog!

 

O amor

Não esqueci de você. Aliáis, nunca esquecerei. Por alguns imprevistos, não pude escrever no dia certo, mas você sabe que a culpa não foi minha, não é? Desculpas para trás, queria te dizer o quão importante tem sido você pra mim. E tenho certeza que ainda será, mais e mais. Meu bebê, todos esses dias que passamos juntos foram apenas os melhores da minha vida. Todos os suspiros ao seu lado, todas as risadas… como é bom estar perto de você! Ao longo do tempo, tivémos pequenos desentendimentos e olhe como apenas ter passado o final de semana contigo fez com que tudo aquilo parecesse besteira. Não se esqueça que você sempre fará parte da minha vida, esteja sentado comigo vendo tv ou do outro lado da tela. Somos prova vida de que a distância faz com que o amor acabe, mas sim cresça cada vez mais. É difícil, confesso. Não ter você todos os dias para abraçar e enxer de beijos, mas toda essa luta diária com a saudade nos fez mais fortes. A cada dia me apaixono mais pela pessoa maravilhosa que você é. Não posso mentir, sou egoísta, realmente muito egoísta. Sabe por quê? Pois queria você só pra mim, sem dividir com ninguém desse mundo. Porém me lembro que tenho algo mais importante que tudo: seu coração. E dele eu cuidarei pro resto da vida. Hoje temos 375 dias juntos. À pouco fizemos um ano, de muitos diria. Obrigada por me fazer a mulher mais feliz do mundo. Te amo meu homem, meu bebê, meu mô. Meu Rafael.

1.7

É, o tempo passa não é? Lembro quando completei 10 anos como se fosse ontem. Dias antes eu tinha mudado de casa, então era meu primeiro aniversário na casa nova. Lá estavam meus pais, meu vô (paterno) e minha vó (materna), todo mundo lá cantando parabéns e aquela coisa toda. Hoje estou completando 17 anos e me vejo na compania dos meus pais, meu irmãozinho, minha vó e – quem queria estar aqui mas mesmo assim é como se tivesse – meu namorado. É engraçado quando olha-se pra trás. Tantos choros bobos, tantas risadas sem motivo, tanto problema que hoje nem é mais nada. Como será daqui a 7 anos? Estarei casada? Terei terminado a facudade e trabalhando ou fazendo pós-graduação? E meus pais como estarão? Meu irmãozinho já vai estar falando, correndo, na primeira ou segunda série, aprendendo a escrever… Tanta mudança em poucos anos não é verdade? O que importa é viver, com muita saúde, amor, sucesso e tudo o que já desejaram pra mim no dia de hoje. Já fiz meu desejo, agora só falta soprar as velinhas :D.

Obrigada por tudo meus leitores

De quem está um pouco mais velha e com a mesma altura de sempre, Amanda Perrone.

Fim

Amanhã, pois é. Começam minhas aulas, começam mais um ano letivo. O último. Me questiono o porquê de sempre quando estamos no final de algo parece que tudo passou rápido demais, sem pausas.

E agora veio mais um fim, mas não apenas de um dia, um ano ou uma viagem, é o fim de uma fase que durou doze anos de minha vida. Várias pessoas passaram pela minha vida, pessoas boas, ruins, passageiras ou eternas. Aprendi muito mas cheguei a ensinar também. Dei meus tropeços mas aprendi a andar firme.

Encarei também a dura realidade, de cara, sem rodeios: não verei nem metade das pessoas depois. Não tem como escapar disso, ou alguém ainda acha que todos vão estudar no mesmo lugar, com as mesmas profissões? Ou mesmo morar na mesma cidade, muitos com o tempo vão se mudar. Provavelmente, por conta de redes sociais, nós ainda iremos conversar. Quem sabe aconteça algo, reunião de ex-alunos ou algo parecido. Não que todos nunca mais queiram se ver, mas vai ser mais difícil. Espero que ainda haja contato com pelo menos minhas amizades mais íntimas.

Vamos encarar a realidade, mas quem disse também que não podemos nos esforçar pra mudá-la?

A origem

Em uma noite qualquer rodiada por pensamentos aleatórios, me veio a pergunta sobre a origem. Não do universo – não quero nada muito complexo, vai que depois perco o sono -, mas de mim mesma. De onde veio essa ideia de escrever, de querer expressar sentimentos e pensamentos por meio de palavras sabe? De achar o prazer em ver um bom texto escrito por mim. Talvez seja a influência  de algumas pessoas ou mesmo após tantos livros lidos, querer ser dona das palavras – só pra variar. Sempre tive paixão por livros, pelas palavras, pelas frases bem formuladas que mudavam totalmente de tom ao serem reorganizadas. E escrever não é apenas jogar palavras num papel ou post. Escrever te torna mestre das palavras, e se você souber domá-las, elas irão ao seu favor. Escrevo porque me dá prazer ler uma frase bem feita e de minha autoria. Ah, também desenho algumas coisas, mas essa história deixa pra outro dia.