Quase

writen

Meu deus quase um ano sem postar.

Um ano.

Sabe o mais difícil? Eu gostaria de estar somente a uma semana sem postar.

Mas vamos lá.

Segundo semestre de engenharia civil e ainda acredito ser o que quero para o resto da vida. Números e desenhos juntos? E ainda posso ganhar dinheiro com isso? Para mim está perfeito (podem me achar estranha, mas amo exatas). Primeiro semestre passou que eu só vi quando estava de férias. Ah, as férias! Digamos que eu não posso tirar férias, não sou o tipo de pessoa que fica feliz em fazer nada por trinta dias. Talvez uma semana, mas de jeito nenhum quatro. Enfim.

Me aproximo lentamente dos meus dois anos de namoro e não poderia estar mais feliz com isso, pois com todos os problemas e neuras que possuo, ele ainda quer estar ao meu lado. E quero também agradecer às minhas amizades que com tudo isso permanecem verdadeiras. God bless!

Embora tudo pareça lindo, nem tudo é maravilhoso. Sou o tipo de pessoa que se assemelha aos comediantes: querem fazer todos riem, são palhaços e tudo mais, porém vivem em conflito interior e às vezes passam por uma “depressão”. Fazer o quê né? Mas tudo corre bem, tudo vai se acertando.

É só isso por enquanto. Espero não ficar tanto tempo sem escrever… Espero.

“Não quero nunca renunciar à liberdade deliciosa de me enganar. Che Guevara”

 

Amarga nostalgia

Toda vez que eu chegava na casa dele, era recebida com um abraço caloroso e com seu sorriso. Ele era o tipo de pessoa que gosta de fazer coisas com as mãos. Fazia brinquedos de madeira, cadeirinhas, consertava as coisas de casa e tinha uma coleções de botões de camisa, que ficava dentro de uma gaveta unidos por um arame. Suas feições são fortes em minha mente. Seu óculos quadrado e seu cheirinho de pessoa idosa – mas não tanto. Eu poderia dizer que gostava dele, mas não seria verdade, porque eu ainda gosto. Ele se mudou, não o vi mais. Algum motivo fez com que minha única conexão com ele se perdesse. E agora… me resta essa saudade, profunda, dolorida, ardente. Ninguém sabe, mas eu sinto muita saudade dele. E uma das coisas que eu desejaria é um abraço dele, sem necessidade nenhuma de palavras. Porque ele não está aqui? Porque não está me abraçando agora? Falando o quanto eu cresci? Me contando sobre alguma coisa? Lembro de quando ele ia para fora, no jardim fumar, sem nenhum motivo especial a não seu eu. Não queria que eu sentisse a fumaça. E eu ficava olhando pela janela, ele olhava os pássaros, falava o quanto tal flor era bonita e que uma árvore ficaria ótima naquele espaço. Dói, dói demais não saber dele, se está feliz, passando bem ou se está em um lugar melhor. Só queria um abraço dele… só um bastaria pra compensar todos esses anos. Só um.

Medo. Nunca tive medo realmente de perder alguém que não fosse da família. Não que eu não ligasse em perder um amigo verdadeiro, mas sempre me conformei na ideia de que uma hora ou outra as amizades esfriariam, o contato iria se perdendo e infelismente cada um seguiria seu rumo. Triste, mas real. Nunca me iludi pensando que as pessoas sempre ficariam do meu lado ou nunca se fossem. Os caminhos são diferentes e é a vida não é?

Entretanto, hoje talvez eu seja mais sensível a isso. Cada despedida me dói mais. Cada brincadeira perdida, cada risada abafada, cada silêncio interminável me aperta o coração. Por que algumas pessoas não ficam pra sempre na nossa vida? Por que fulana tem que mudar de cidade? E ciclana, por que ela não dá mais notícias? Enfim, despedidas nunca foram meu forte.

Nostalgia

Tempos atrás, mais ou menos 1 ano e meio, eu estava o conhecendo. Foi numa dessas situações em que as pessoas que vão para o mesmo lugar na mesma época decidem se conhecer antes, tipo essas comunidades do Hopi Hari. Conversamos, se conhecemos e rimos, rimos de absolutamente tudo. E ate hoje eu me lembro, de estar conversando com ele e eu estava com a webcam ligada, e comendo salgadinho ao mesmo tempo. E ele brincou que eu comia comia e o salgadinho não acabava. Até hoje eu rio disso. Mas hoje não tenho motivos para sorrir quando penso nele, pois como acontece às vezes, um se esqueceu do outro. Não eu, ele. Antes, deixávamos tudo de lado para ficar conversando com o outro. Hoje, tsc tsc… ele nem fala mais oi. Se eu falo, é só para iniciar um diálogo sem graça, como o normal de msn: Oi, tudo bem?, novidades? e fim. Eu ainda gosto dele, queria ter a amizade de antes, mas não dá pra ser assim. Afinal, de que adianta ter duas metades de um coração se uma delas será aceita com obrigação e não com alegria? Enfim. Gostaria que não tivesse sido assim, mesmo porque, por mim, estaríamos rindo até agora, do meu incrível salgadinho interminável.

Avó

Olá 😀

Quando penso em histórias logo lembro da minha vó. Lembro de quando eu era menor e ela me contava suas histórias. De quando era pequena, quando casou, quando morou na Itália, de como era criar os filhos… Contava a história da vida dela e de como ela passou por tudo.

De vez em quando ela vinha passar um tempo aqui e era uma alegria! Todo dia pedia para que ela me contasse algo novo ou repetisse o que já havia contado. E como meus olhos brilhavam de admiração! Aquela mullher conseguiu fazer tanta coisa, e já passou por tanta dificuldade e agora estava ali me contando suas experiências.

Agora vejo que não dou mais importância para ela. Agora quando ela vai me contar algo, paro e presto atenção, mas não com a admiração de antes, e sim com algum desinteresse por já saber o final. Logo eu, que amo reler livros ou rever filmes só para sentir a mesma emoção que eu passei na primeira vez. Daqui a alguns dias, ela virá morar com a gente para ajudar minha mãe, e espero que eu possa reconpensá-la com os meus olhinhos brilhantes de admiração que eu tinha antigamente.

Beeijinhos

Adeus

Quantas pessoas são necesárias para construir uma vida? Milhares.
E quantas são necessárias para destruí-la? Apenas uma.
E assim nos deixou alguém que merecia viver muito mais. Eu não tive o prazer de ter uma grande amizade com ele, conhecia só de vista e falar só falei poucas vezes. Mas o buraco que deixou no coração de seus amigos foi grande, hoje eles não sabem o que fazer para viver sem ele, e isso vai ser algo difícil de aceitar.
E assim me despeço de alguém que foi mais que uma simples vida, e sim alguém que marcou muita gente.
Em memória de Anderson Zerbini † 05/12/2010

Consciência

Páro e penso o quanto você realmente é especial para mim. Você especial? E o que é ser especial?

Você não é especial, é excepcional no sentido de ser fora do comum. Eu poderia viajar o mundo inteiro que não acharia ninguém igual a você, com todoas essas partes que te formam e fazem com que seja assim, tão… perfeita? Ah, não sei dizer, todos temos alguns defeitinhos, o seu talvez seja ser tão… perfeita. Sim, esse é seu defeito, ser perfertinha demais.

Não importa o que, você sempre terá sua opnião, e isso eu admiro em você, muito. Você é a garota mais com personalidade que eu conheço e olha que eu conheço muitas garotas! Quando eu falo com você sério, não dá! Acabamos achando alguma frase estranha ou enrolando a língua e rindo. Ah como é bom conversar com você! É tão natural, expomos nossas opniões, brincamos e o tempo passa como se corresse de algo perigoso.

Ter a consciência que você me admira, nossa, eu me sinto super lisongeada! Nunca pensei que o que eu quis provar para mim mesmo algum tempo atráz hoje ia dar certo, essa “filosofia” de viver e não ter a vegonha de ser feliz. Simplismente mal posso acreditar quando você diz que se pudesse viver um dia no corpo de outro, seria eu. Quem imaginaria, a menina que sempre gostei e fiz de modelo para o que eu queria ser, agora diz isso! É como… não, não vou tentar pois não tenho palavras para descrever o que sinto aqui dentro, inimaginável.

Se um dia precisarmos uma da outra, vamos prometer que vamos procurar a outra, para que todos os nossos problemas, no fim, não passem de brincadeira.

Beijos, especialmente para a menina que me inspira até hoje, e hoje nós duas nos inspiramos.

PS: HaHa, também roubei sua foto u_ú

Trident

Trident Fresh Mint, pacotinho da cor azul piscina. Ah como esse mesmo Trident tem histórias! Se os pacotinhos fossem todos um só, iam contar muita coisa, é incrível as coisas que passei e esse pacotinho estava junto… Não pensem que isso é uma bobeira, mas marcou muito. Meu primeiro namorado, quando a gente se conheçeu melhor (hum) usava esse Trident. Quando eu quase fui “morta” – digo, levei uma bronca tão grande que pensei que ia sair de casa, brinks – eu masquei muito ele. Meus namorados sempre tinham um desse no bolso e sempre me davam um, eu lembro disso muito bem.

Quando conheçi o meu segundo namorado, eu mascava esse chiclete. Quando fui em uma viagem muito importante de formatura no ano passado, eu masquei esse chiclete. Praticamente em quase todas minhas primeiras e/ou melhores experiências eu masquei essa chiclete. E não me arrependo de nada.

O jeito é continuar comprando dele e ser feli :D. USHAUSHUAHSUHASH – sem graça.

Beijos :*

Pára Tudo

Olá !

Gente, eu não sei mais algo está acontecendo. Alguma coisa na minha vida está mudando e infelizmente parece ser para pior. Não é nenhuma conversa de menina triste, ou algo de depressão. Mas as coisas parecem diferentes do que era antes. Está mais difícil acreditar que um tempo atrás tudo era como um mar de rosa e agora, se eu não prestar atenção, planstas rasteiras irão me derrubar. E qual o porquê disso? Eu fiz algo de ruim pra alguém? Eu por acaso maltratei alguém? De repente, o que era lindo virou apenas comum, o que era extraordinário virou mesmice. E nessa mudança toda fica eu no meio, igual a uma barata tonta que não sabe se anda ou se corre para fugir disso tudo.

E como irei arriscar se, como diz o ditado? Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Eu não quero nenhuma das opções, mas é impossível voltar no tempo, e não digo voltar meses, pode ser anos… que tal voltar para meus 9, 10 anos de idade? Tudo era mais fácil, não tínhamos que confrotar a realidade do mundo que nos cerca, tínhamos obrigação de estudar e escovar ou dentes, e não a responsabilidade de começar a pensar no que será nosso futuro e como chegaremos lá.

Hoje eu vejo e entendo o motivo da batalha dos experientes e porque eles tentam nos botar na linha. Pura e simplismente para que agora já seja possível para nós correr atrás das coisas, para que não tenhamos tanta dependência em quem não está sempre ao nosso lado, para que – desde agora – algúm fruto de toda o aprendizado, começe a brotar e no final disso tudo, uma árvore de boas consequências habite nosso jardim.

Mas se pudesse, pararia tudo agora como está e voltaria a minha infância, quem sabe chamar as amigas e brincar de boneca.

Kisses ‘

Harry Potter

Olá (:

A M O! Amo tudo de Harry Potter, amo os livros, amo os filmes, amo os personagens. Até hoje, nenhum filme teve sua história tão comprida e filmada como Harry Potter, nem Star Wars, que tem 6 filmes. Poderá vim gente dizer o que quiser, mas eu amo de paixão e nada irá mudar u.u ‘.

Hoje, na televisão fechada, assisti HP3 – O prizioneiro de Azkaban e toda hora que alguém soltava um feitiço eu me empolgava *-* é tão legal a história, um garoto simples que vivia embaixo da escada na casa de seus tios que não aceitavam em bruxaria e por isso não contaram a Harry teu verdadeiro passado. E esse mesmo bruxinho, desde quando tinha cara de neném nos conquista até hoje – ou pelo menos me conquista.

Graande beijos cheios de magia e doces da Zonko’s