Medo. Nunca tive medo realmente de perder alguém que não fosse da família. Não que eu não ligasse em perder um amigo verdadeiro, mas sempre me conformei na ideia de que uma hora ou outra as amizades esfriariam, o contato iria se perdendo e infelismente cada um seguiria seu rumo. Triste, mas real. Nunca me iludi pensando que as pessoas sempre ficariam do meu lado ou nunca se fossem. Os caminhos são diferentes e é a vida não é?

Entretanto, hoje talvez eu seja mais sensível a isso. Cada despedida me dói mais. Cada brincadeira perdida, cada risada abafada, cada silêncio interminável me aperta o coração. Por que algumas pessoas não ficam pra sempre na nossa vida? Por que fulana tem que mudar de cidade? E ciclana, por que ela não dá mais notícias? Enfim, despedidas nunca foram meu forte.