Mal estar

Hoje acordei e me senti mal. Todo dia, assisto ao jornal e vejo inúmeras reportagens sobre o terrível incidente acontecido em Realengo. E toda vez que vejo, me sinto pior. A escola agora não me parece mais segura, ex-alunos não me parecem mais simples indivíduos querendo rever a sua antiga escola, homens e mulheres desconhecidos na rua me trazem um sentimento de medo, tal que me faz abraçar mais forte minhas coisas quando ando por aí.
Onde, me diga para onde meu Deus, para onde caminha a humanidade? O que antes era caso só de escolas do exterior, agora aconteceu em um município no Rio de Janeiro. O que antes era ficção em filmes está virando uma realidade cruel, na qual poucos estão sobrevivendo. Agora eu me pergunto meu Deus, como me sentirei segura? E quando tiver na idade adulta, e querer ter filhos, como terei certeza que poderei encontrá-los vivos na hora da saída? Nada mais faz sentido, nada mais é correto. Uma menina, temendo pela vida da melhor amiga, se pôs a frente desta, que sobreviveu vendo o gesto extraordinário da amiga salvar sua vida, porém o preço foi alto. Uma vida paga por outra vida. Seguro era, quando a única moeda que usávamos para pagar as coisas era o real.